Norte Agropecuário

Adapec apreende 635 mudas frutíferas sem documentação fitossanitária

A apreensão foi realizada em Goiatins. O motorista foi multado em R$ 3,6 mil e a carga destruída no aterro sanitário da cidade, devido à falta de documentação sanitária, caso o contrário, as mudas poderiam conter pragas e com isso, colocar em risco o status sanitário do Estado.

  • Norte Agropecuário
  • 12 de junho de 2018
A fiscalização de trânsito tem sido intensificada para impedir a entrada, principalmente, de praga quarentenária, que causa restrição comercial. (Foto Divulgação Adapec)
A fiscalização de trânsito tem sido intensificada para impedir a entrada, principalmente, de praga quarentenária, que causa restrição comercial. (Foto Divulgação Adapec)

Dinalva Martins
DE PALMAS (TO)

Uma equipe da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), na segunda-feira, 11, após denúncia anônima apreendeu 635 mudas frutíferas, destas 150 eram de citrus (laranja, tangerina, limão, entre outras), sendo comercializadas de forma ambulante, que é proibida, na praça central do município de Goiatins. O motorista foi multado em R$ 3.600,00 e a carga destruída no aterro sanitário do município, devido à falta de comprovação da origem das mudas e documentação sanitária que certificasse a sua idoneidade, podendo assim colocar em risco o patrimônio fitossanitário do Estado.

De acordo com o supervisor da Adapec de Pedro Afonso, José Carlos Fernandes, o denunciante informou que na praça havia dois caminhões comercializando as mudas, assim que a equipe de fiscalização chegou, um suspeito conseguiu fugir, mas o segundo veículo foi retido. “A documentação apresentada era inconsistente, acompanhada de nota fiscal inválida. Segundo o condutor, a carga vinha de São Paulo com rota final no estado do Pará”, disse. A ação contou com o apoio da barreira volante e do escritório local de Goiatins.

O presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, disse que a fiscalização de trânsito tem sido intensificada para impedir a entrada, principalmente, de praga quarentenária, a exemplo do cancro cítrico, uma das mais graves doenças da citricultura brasileira, que causa restrição comercial. “A venda ambulante de mudas é proibida, nossas ações são preventivas, para evitar a disseminação de pragas na produção, pois basta apenas uma muda contaminada para afetar um status sanitário do Estado inteiro”, avaliou. (Da Adapec)

Deixe seu comentário: