Plantão Policial

Homem suspeito de estuprar a própria filha é preso pela Polícia Cívil

O investigado foi capturado quando se encontrava nas imediações de um posto de combustíveis, em Nova Olinda.

  • Da Redação
  • 28 de agosto de 2018

A Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio das Delegacias de Nova Olinda e 2ª Delegacia de Polícia de Araguaína, efetuou na tarde desta segunda-feira (27) a prisão de E. C. R., de 38 anos de idade, pela suposta prática do crime de estupro de vulnerável. O investigado foi capturado quando se encontrava nas imediações de um posto de combustíveis, em Nova Olinda, mediante cumprimento a mandado de prisão preventiva.

Conforme o Delegado Luis Gonzaga da Silva Neto, tramita na Delegacia de Nova Olinda inquérito policial em que se investiga crime de estupro de vulnerável praticado por E. C. R. contra a sua filha de apenas 08 (oito) anos de idade.

A vítima relatou às conselheiras tutelares que por quatro vezes seu pai teria adentrado em seu quarto enquanto a mesma estava dormindo, onde acordava com ele tirando sua roupa e acariciando suas partes íntimas. Ainda segundo a criança, o pai tapava a sua boca e dizia que, se ela gritasse, iria machucá-la. Durante um dos abusos, a criança correu nua pedindo socorro para seu avô, pai do suposto autor.

Após tomar conhecimento do fato, a Polícia Civil de Nova Olinda representou pela prisão preventiva do pai da vítima, sendo esta deferida pela 2ª Vara Criminal de Araguaína. De posse do mandado de prisão, os policiais civis efetuaram as diligências e encontraram o indivíduo próximo a um posto de gasolina, na entrada da cidade de Nova Olinda, não havendo resistência durante a ação.

Após o cumprimento do mandado de prisão, E. C. R. foi interrogado pelo delegado, mas negou os fatos, no entanto, ele admite que dormia no mesmo quarto de sua filha, a vítima do crime em tela. Após a realização dos procedimentos legais, o indivíduo foi recolhido à carceragem da Casa de Prisão Provisória de Araguaína, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

O autor será indiciado por estupro de vulnerável, cuja pena é de até 15 anos de prisão, tendo em vista o aumento de metade da pena, pela fato do crime ter sido cometido pelo pai da vítima. O presente caso demonstra que a Polícia Civil está empenhada no combate aos crimes sexuais praticados contra crianças e adolescentes no Estado do Tocantins.(Com informações da SSP/TO)

Deixe seu comentário: