Política

Vereador investigado em desvio de dinheiro público chega à Palmas em aeronave fretada pelo Governo

Foto: Divulgação
  • Da Redação
  • 09 de agosto de 2018

Em aeronave particular, fretada pelo governo do Tocantins, o vereador Raimundo Rêgo de Negreiros chegou à Capital na madrugada desta quarta-feira, 08. O parlamentar era considerado foragido pela justiça brasileira, após prisão decretada no dia 03 de agosto, por suposto envolvimento com desvio de dinheiro público.

Negreiros estava desde o dia 02 de agosto em viagem internacional, e foi interceptado pela Polícia Federal no aeroporto no Rio de Janeiro. Após a chegada ao Aeroporto de Palmas foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para passar por exames relacionados ao cumprimento do mandado de prisão. Do IML, o Militar foi encaminhado para o Quartel do Comando Geral de Palmas(QCG) e aguarda para ser ouvido pela equipde da Delegacia de Crimes de Maior Potencial Contra a Administração Pública (Dracma).

Entenda

A Polícia Civil do Tocantins deflagrou na sexta-feira passada, 3, a segunda fase da “Operação Jogo Limpo”, que detalhou as etapas de um esquema milionário, entre servidores da prefeitura, empresários e políticos. A operação foi realizada pela Delegacia de Repressão a Crimes de Maior Potencial Contra a Administração Pública e contou com o apoio de 40 delegados e mais de 110 policiais civis. As prisões e buscas foram realizadas em Palmas, Goiânia, Fortaleza do Tabocão e Aparecida do Rio Negro.  A justiça do Tocantins expediu 26 mandados de prisão, dentre eles para o presidente da Câmara Municipal, Folha Filho, Major Negreiros e Rogério Freitas.

As investigações apontam que eles fazem parte de um suposto grupo criminoso que desviou R$ 7 milhões da Fundação Municipal de Esporte e Lazer (Fundesportes) e da Secretaria de Governo e Relações Institucionais da capital. A verba seria destinada a projetos sociais, mas o dinheiro teria sido usado em campanhas eleitorais de 2014.

Conforme a Polícia, empresas fantasmas emitiam notas fiscais frias para justificar despesas e serviços na prestação de contas dos convênios. Esses serviços nunca chegaram a ser realizados, segundo a apuração. Os valores recebidos eram desviados para servidores públicos, presidentes de entidades, empresários e agentes políticos.

Vereadores

Na sexta-feira, 3, apenas o vereador Rogério Freitas foi detido. O parlamentar prestou depoimento e foi liberado. Já o vereador Folha Filho, se apresentou a justiça na segunda-feira, 6, e foi liberado na quarta-feira, 8.  

O que dizem os acusados

O presidente da Câmara de Palmas disse que desconhece as acusações e que não autorizou que fossem feitos depósitos na conta dele e garante que é inocente.

A Prefeitura de Palmas informou que está à disposição da Justiça e da investigação para contribuir com qualquer esclarecimento. O vereador Rogério Freitas disse em entrevista à TV Anhanguera que até o momento não foi acusado de nada e é inocente.

O vereador Major Negreiros ainda não se posicionou sobre as acusações.

 

 

 

Deixe seu comentário: