Ciência & Saúde

Anestesia no Tocantins: cerca de 80% da movimentação é por plano de saúde

  • Da Redação
  • 30 de janeiro de 2019

A anestesia é considerada uma das maiores descobertas da medicina, pois só com ela é possível realizar cirurgias sem o sofrimento da dor. O médico anestesista é conhecido como o guardião da vida dos pacientes, antes, durante e depois de uma cirúrgica, isso por que ele vigia e mantém equilibrado o organismo do paciente para o sucesso da cirurgia.

O Dr. Jorge Lopes trabalha como médico anestesista no Tocantins desde 2017 e conversou com o Diário Tocantinense sobre a profissão. Segundo o médico, as técnicas mais comuns de anestesia é a de sedação, “realizada pela veia onde o paciente dorme e não sente dor, utilizada em procedimentos rápidos e com pouca dor, ”disse. Ele afirma que existem várias técnicas anestésicas de acordo com cada caso, o anestesista planeja a melhor forma podendo combinar mais de uma técnica.

Assim como qualquer outra área da medicina, o mercado para anestesista cresce frequentemente no Brasil e há alto índice de empregabilidade segundo o guia da carreira. No entanto, Jorge informa que no Tocantins, assim como no resto do Brasil, a realidade é que sobram médicos especializados na capital e faltam no interior. Em contrapartida, nas menores cidades o ambiente hospitalar é composto em sua grande maioria por hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com anestesista, nos últimos 10 anos o número de leito e cirurgias pelo SUS diminuiu drasticamente e isso fez o mercado de trabalho torna-se mais difícil e competitivo, com dificuldades para se ter uma relação empregatícia digna e duradoura.
“No Estado do Tocantins a forma de trabalho no SUS se dá pela Cooperativa dos Anestesistas do Estado que é uma empresa sem fins lucrativos que atua como prestadora de serviços terceirizada para o estado através de licitação e contrato, abrangendo todos hospitais estaduais e as vezes em parcerias municipais do Estado”, informou Jorge.

O médico que atende pelo SUS e pela rede privada afirma que cerca de 80% do movimento são por planos de saúde, “geralmente a nossa cooperativa tem contrato com as principais operadoras de planos de saúde”, disse.

Tipos de anestesia:

Anestesia geral
A anestesia geral pode ser entendida como um estado reversível de ausência de percepção dolorosa, relaxamento muscular, depressão neurovegetativa e inconsciência, resultante da ação de uma ou mais drogas no sistema nervoso. São administrados por vias endovenosas e inalatória preferencialmente devida a relação efeito-doze e o tempo de curso de efeito são mais previsíveis. Outras vias podem ser usadas, como a anestesia geral reta.

Anestesia geral por inalação
Os anestésicos líquidos podem ser administrados pela mistura de vapores com oxigênio ou óxido nitroso-oxigênio e, então, fazer o paciente inalar a mistura. O vapor é administrado ao paciente por meio de um tubo ou máscara.

Anestesia geral endovenosa
Pode ser produzida pela injeção intravenosa de várias drogas. Tem a vantagem de não ser explosiva, agradável para o paciente, ação rápida, fácil de dosar, não requer aparelhagem e é muito fácil de administrar, porém, não há meio de removê-la do organismo (tiopental sódico, etomidato, acetamina, diazepínicos, propofol e methoexital sódico).

Anestesia local
Caracteriza-se pela administração de anestésico local nas imediações dos axônios. Sua ação é de estabilizar a membrana do axônio impedindo a despolarização e consequente propagação do impulso elétrico. Pode ser classificada em: local propriamente dita regional e espinhal.
Anestesia local pode ser tópica (mucosa do nariz, boca, árvore traqueobrônquica, esôfago e trato geniturinário) ou por infiltração (injeção de anestésico nos tecidos nos quais deve passar a incisão).

Anestesia regional
O agente anestésico é injetado nos nervos ou ao redor deles, de modo a anestesiar a área por eles inervada. As áreas mais comumente utilizadas são: bloqueio do plexo (plexo branquial); anestesia paravertebral (parede abdominal e vísceras); bloqueio transacral (períneo e baixo abdômen);
Anestesia espinhal
Epidural ou peridural - injeção de anestésico no canal medular no espaço ao redor da dura-máter.
Raquianestesia – é obtida pela punção lombar e, no mesmo ato, injeta-se a solução de anestésico no líquido cefalorraquidiano, no espaço subaracnóideo.

 

LINK CURTO: https://diariotocantinense.com.br/r/z2

Deixe seu comentário: