Autora da Lei do Agosto Dourado, Dulce Miranda reforça a importância da amamentação

O tema tem como meta estimular ações para melhorar a saúde das pessoas e do planeta.

Da Redação

Autora da Lei nº 13.435, de abril de 2017,  que instituiu o Agosto Dourado - Mês do Aleitamento Materno,  a deputada Federal, Dulce Miranda lembra que ao contrário dos anos anteriores, as campanhas relativas à amamentação de 2020 serão diferentes em função da COVID-19. "Em conversas com algumas instituições e secretários municipais de saúde, já fui informada que as atividades serão mais discretas, a exemplo, dos grupos de mães que se juntavam em um local específico para publicizar e amamentar juntas os seus filhos, que agora serão substituídos por mamaços virtuais", informa. 

Ainda que no território das plataformas tecnológicas,  Dulce Miranda enfatiza que em agosto, governos e instituições voltadas para a saúde das mulheres e das crianças terão uma excelente oportunidade para lembrar, conscientizar e estimular a amamentação. "O leite materno é a primeira vacina  do bebê. Ele é vida, é alimento que vem da melhor fonte e ainda é um elo íntimo e único entre a mãe e o filho", pontua.   

A enfermeira-obstétrica e consultora em amamentação, Ana Francisca Barros Dias é uma das profissionais do Tocantins engajada e defensora do aleitamento materno.

"É importante que as mulheres se preparem para o aleitamento materno ainda na gestação, através da busca de informações. Essa mulher também precisa de uma rede de apoio que são as pessoas que vão estar ao seu lado orientando nos cuidados com o bebê e estimulando a amamentação", disse Ana Francisca.

Ana Francisca faz parte de uma equipe multidisciplinar de especialistas das áreas da saúde da mulher e da criança que a partir deste sábado, 1, farão várias lives sobre o aleitamento materno. Ações como estas, e de outras entidades têm sempre o apoio da deputada Federal, Dulce Miranda.

Agosto Dourado
O tema de 2020 é "Apoie o Aleitamento Materno por um planeta Saudável", que tem por objetivo fazer um paralelo entre a amamentação e o meio ambiente. O tema tem como meta estimular ações para melhorar a saúde das pessoas e do planeta. 

A Organização da Saúde (OMS) sugere que a criança deve amamentar até os seis primeiros meses de vida, chamado de  "Aleitamento Materno Exclusivo", período este em que a criança só precisará do leite da mãe, evitando até mesmo água, chazinho ou engrossantes alimentares.(Assessoria de imprensa