Cidadania se mostra descontente com escolha de Marcus Marcelo para chapa de Wagner Rodrigues e deve retirar aliança nestas eleições

A sigla ameaça retirar o apoio a chapa apoiada por Ronaldo Dimas após dizer que não teve diálogo com os aliados

Da Redação

Uma nota enviada a imprensa na manhã desta sexta-feira, 11, trouxe a tona uma crise na relação  entre o Cidadania e o Podemos em Araguaína. A sigla ameaça retirar o apoio a chapa apoiada por Ronaldo Dimas.

Assinada pelo presidente estadual, deputado estadual Eduardo do Dertins,  o Cidadania explanou o seu descontentamento em relação a escolha de Marcus Marcelo como vice na chapa encabeçada  por Wagner Rodrigues.

De acordo com a nota, o partido não concorda com a forma  em que foi feita a escolha do nome para vaga de vice. “Eu telefonei para o presidente municipal do Cidadania, Sandro Bandeira, e também para o deputado delegado Rerisson e fui informado que toda tomada de decisão foi feita a toque de caixa, e que há pelo menos 15 dias o prefeito Ronaldo Dimas não conversa com o Cidadania e nem com o delegado Rerisson”, acusa o deputado estadual.

A escolha de Ronaldo Dimas foi questionada pela sigla que discordou e acusou Marcus Marcelo de tentar tumultuar a pré-campanha em Araguaína, realizando investidas contra a  candidatura do Wagner Rodrigues. “O Cidadania foi surpreendido com a indicação de um candidato a vice que só tem atrapalhado todo o processo”, diz a nota. 

O Cidadania também  quer o retorno do delegado Rérison a sigla e ofereceu a presidência municipal para o suplente de deputado estadual, que chegou a figurar na lista de pré-candidatos a prefeitura,mas que havia deixado o partido no início do ano para ingressar no Podemos. “Ronaldo Dimas fez um compromisso com o Cidadania, nosso partido cedeu o deputado  Delegado Rerisson para o Podemos acreditando que este seria membro da chapa majoritária”, explicou Eduardo do Dertins.