Em Araguaína, advogada é ameaçada por exercer profissão; OAB/TO requer providências à SSPTO

A Ordem não admite ameaça de qualquer espécie com intuito de restringir a advocacia

Da redação

A advogada Mikaely Lima, atuante em Araguaína, sofreu ameaças relacionadas a sua atividade profissional. Diante do ocorrido, a OAB/TO em conjunto com a SSP-TO já tomou as devidas providências e o caso está sendo acompanhado.

Nesta quinta-feira, 12, a Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Tocantins se reuniu com representantes da Secretaria da Segurança Pública, para solicitar apoio e atuação da SSP-TO para garantir o livre e efetivo exercício da advocacia.

Para o presidente da OAB/TO, Gedeon Pitaluga, a Ordem não admite ameaça de qualquer espécie com intuito de restringir a advocacia e conta com o apoio da Segurança Pública do Estado. “Estamos fazendo uma ação institucional firme para impedir qualquer ameaça ao exercício da advocacia no Tocantins”, afirmou.

Em Araguaína, o presidente da OAB Subseção do município, David Moraes, destaca que “é necessário garantir o exercício da advocacia sem nenhuma amarra ou tentativa de intimidação. A Ordem fará qualquer ação necessária para punir crimes contra a advocacia e garantir o direito aos advogados e advogadas de exercerem seu ofício buscando justiça sem qualquer tipo de intimidação”.