Entrevista Exclusiva

Em entrevista, Jairo Mariano fala de sua gestão em Pedro Afonso e da ATM

O prefeito, que está em seu segundo mandato, também comenta sobre situação fiscal do TO e alfineta nova previdência.

Foto: Eduardo Gomes/ Diário Tocantinense
  • Por: Auro Giuliano e Ricardo Almeida
  • Da Redação
  • 05 de agosto de 2019 (Atualizada em 06/08/2019 09:01:14)

O prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano, recebeu a redação do Diário Tocantinense em seu gabinete na última semana, onde concedeu uma entrevista. Com disposição e em fino trato, ele falou sobre os desafios de sua gestão e o legado que deixa para a cidade. Mariano também é presidente da Associação Tocantinense do Municípios (ATM) e comentou sobre as dificuldades dos gestores municipais em conseguir recursos e sobre a situação fiscal do estado.

Durante o bate-papo aberto, o prefeito também falou sobre a reforma da previdência. Ele criticou o fato de estados e municípios ficarem de fora do projeto aprovado na Câmara e disse também que o texto manteve “privilégios”.

Pedro Afonso

Jairo Mariano assumiu a prefeitura de Pedro Afonso em 2013 e em 2016 foi reeleito sendo reconduzido ao cargo no ano seguinte. Segundo o gestor, nesse período todos os seus esforços se concentraram principalmente na parte de infraestrutura.

“Pedro Afonso era uma cidade que tinha apenas 30% de calçamento e tínhamos um grande desafio, porque no período das chuvas era da lama que a comunidade reclamava muito. No período de verão era da poeira. E somado a isso, nós tínhamos vários pontos de alagamentos. Então nos concentramos muito os esforços nisso”, explica.

Com a bandeira de levar mais qualidade de vida para comunidade Marino conta que a gestão concentrou todos os esforços nisto. “Então nos asfaltamos mais de 100 ruas de Pedro Afonso. Hoje contamos com um programa de tapa buracos permanente que visando a manutenção das ruas.  Construímos praças e embelezamos a cidade. Além do asfalto, também fizemos calçadas para dar mais mobilidade a nossa comunidade, foram muitas obras”, comenta.

Mariano conta que em seus primeiros dias de mandado, a comunidade alertou sobre os problemas de alagamento na cidade. “Fomos chamados a atenção sobre o problema em áreas de alagamentos, para providenciar nossos esforços nesse sentido, então pegamos as máquinas, arregaçamos as mangas e fomos realmente para resolver o problema. Hoje nós temos vários quilómetros de galerias pluviais construída no nosso governo, que é um marco para o munícipio”, ressalta.

Esporte e Turismo

Segundo o prefeito, na área de esporte a cidade não tinha infraestrutura nenhuma. “Hoje temos quadras (poliesportiva) boas, estádio (futebol), campo society e estamos construindo mais quadras”, relata.

A área de turismo no município teve um movimento diferenciado, segundo mariano. “Pedro Afonso hoje é uma das regiões que mais atrai turista no mês de julho. Concentramos esforços em infraestrutura (da praia), na qualidade das atrações. Hoje a economia de Pedro Afonso gira muito em torno do turismo. Os hotéis, os restaurantes, supermercados chegam a ter o movimento de 60% a mais do que acontece no resto do ano”, comemora.

Economia

A estradas vicinais para o escoamento da produção recebem uma atenção especial da gestão. Segundo o prefeito, há uma dinâmica de trabalho permanente da secretaria de infraestrutura visando a manutenção dessas vias. “Somos muito preocupados na questão da movimentação econômica. Nesse período que estamos à frente da prefeitura, nós fomos um dos municípios que mais se destacou em exportação no estado. Por diversas vezes fomos o maior exportador”.

 Então no geral, hoje a cidade está organizada, está planejada tem plano diretor, plano de resíduos sólidos, plano de saneamento. A prefeitura tem planejamento estratégico é uma prefeitura que muito bem organizada para poder dar o resultado na ponta para o cidadão que mora na nossa cidade.

ATM

A frente da ATM desde de 2017, Mariano demonstra uma face mais leve e sorridente ao lembrar dos R$ 200 milhões em recursos que a instituição conseguiu para os 139 municípios do Tocantins.  “Nós conseguimos (recurso) no esforço da ATM, e não apenas os filiados a entidade”, pontua.

Porém, o prefeito muda a expressão ao comentar sobre a crise que o país ainda passa. “A liberação de recursos em Brasília está muito difícil, do ponto de vista da atuação nossa, do trabalho da instituição. Já tem garantido esses R$ 200 milhões, porém estamos nesse momento de crise e temos que aguardar o Brasil ter um fôlego para retomar o crescimento”, avalia.

Segundo o gestor, “a situação de crise que o pais vive influencia diretamente na liberação de convênios, não só os garantidos pela ATM mas também os garantidos pelos próprios prefeitos e prefeitas”.

Sobre a questão, o prefeito defende que a administração federal precisa ter uma maior eficiência, uma maior organização e priorizar de fato a interiorização dos recursos públicos.

Em relação a ATM, Mariano disse que a instituição está muito sólida. “Estamos num processo de evolução institucional muito grande, a instituição nunca esteve tão vem representativa como está nesse momento. Os prefeitos estão bem conscientes que através do associativismo nós temos condições de ter mais benefícios e nós acreditamos que estamos nesse momento em um campo fértil para as coisas acontecerem, trazendo ainda mais benefícios para os nossos municípios”, ressalta.

Reforma da Previdência

Indagado sobre a reforma da previdência, Marino disse que por parte dos municípios, os prefeitos ficaram muito aborrecidos com a não inclusão dos municípios e estados no texto base da reforma da previdência aprovado na Câmara dos deputados.

“Parecemos que estamos em outro país, pois não se justifica você ter hoje uma previdência que ela segue um modelo para união, outro para estado e outro modelo para os municípios. Tem que haver na verdade uma sincronia, uma linha de atenção igual para todos os entes federados”, defende o prefeito.

De pronto e quase sem pestanejar, o gestor também destaca que a reforma precisaria avançar muito mais. Para o gestor a proposta aprovada ainda tem privilégios. “Se não tem condições de imediato de estancar esses privilégios, mas que tenha uma justiça nessa linha equânime mais adequada. Por que não é justo, nos termos a grande maioria das pessoas que recebe um salário mínimo, que se são aproximadamente 80 a 85% do país e apenas 15% que são beneficiados com altos salários. Inclusive os salários desses 15% juntos são maiores do que todo resto que só recebe o mínimo através do regime geral de previdência. Então essas reformas, não só a da previdência, necessariamente tem que se estancar os reais problemas que o nosso país vive, essa é a nossa preocupação”, pontua.

Recado para gestão estadual

Sobre o governo do estado, Mariano disse que o prefeito que foi afetado pelos cortes de recursos, principalmente na área de turismo entende que o estado está em processo de baixa capacidade de investimento.

“Mas eu enquanto gestor público, diferente de uma grande maioria que se preocupa com despesas, eu concentrei o meu esforço em ir atrás de receita, por que é a receita que garante de fato o resultado para o seu leque de trabalho. E é isso que eu recomento ao governo do estado, o governo tem várias fontes alternativas para ampliar suas receitas, não com aumento de impostos mas com algumas atividades administrativas que vem deixando de fazer, é uma recomendação que damos como entidade. Ampliando suas receitas ele (estado) tem condições de cumprir a lei de responsabilidade de adequar a parte fiscal que é o grande problema”, sugere.

Legado

Filho de Pedro Afonso, Jairo Mariano disse ter muito orgulho de ser predrafonsino. “A cidade, nesse período que estou como prefeito, passa por uma movimentação muito grande de obras, então o desejo que eu tenho para a próxima administração, para o próximo gestor é que de fato dê um resultado na ponta para a nossa comunidade. Nossa comunidade é centenária e Pedro Afonso tem tudo para ser, como já é de fato, uma das melhores cidades do Estado”.

Em uma leve pausa, acompanhada de uma mudança de moderação, Mariano resolve citar o grande avanço na área de educação no munício. ” Um exemplo claro que fizemos durante esses seis anos meio que fechou agora, nós éramos a 33º município em educação no estado e saltamos para o 3º lugar. Hoje nós estamos atrás apenas de Palmas e Paraíso do Tocantins, E com fé em Deus, o nosso interesse é nesse pouco tempo que nos resta é que no próximo levantamento nacional nos chegarmos a ser o primeiro em educação no estado”.

E para gestões futuras, o recado de Mariano é para que “Pedro Afonso sempre continuem bem, sua comunidade é bastante atuante, com pessoas que gostam de contribuir voluntariamente. Que todos (gestão e comunidade) estejam integrados em um movimento em prol da cidade. Que a próxima administração tenha um profícuo resultado, não só a próxima, mas a próximas e que isso seja permanente. Esse é o nosso desejo, independentemente de partido. Um partido político e a política são apenas mecanismos para que você leve os benefícios para a comunidade”, finaliza.

 

LINK CURTO: https://diariotocantinense.com.br/r/Lp

Deixe seu comentário: