Justiça

Ex-prefeito, presidente da Câmara e vereadores são alvo de operação Midas da Policia Civil por crime de lavagem de dinheiro em Colméia

Mesmo não havendo prisões, cada investigado assinou um termo de compromisso de pagamento de fiança.

Foto: Divulgação
  • Da Redação
  • 09 de julho de 2019 (Atualizada em 09/07/2019 15:38:43)

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da Delegacia de Polícia de Colméia, deflagrou nesta terça-feira, 09, no município, localizado a 226 quilômetros da Capital, Palmas, a Operação Midas, que investiga crimes contra a administração pública, lavagem de dinheiro e organização criminosa no âmbito do Poder Legislativo local. Ex-prefeito Pedro Clésio, a atual presidente da Câmara, Maria Nilza foram levados para depor na sede da Policia Civil.

Durante a operação, foram cumpridos mandados de busca e apreensão de documentos e equipamentos eletrônicos, como também a condução de sete investigados para prestar esclarecimentos a respeito das investigações. Entre os suspeitos estão membros do Poder Legislativo de Colméia, um ex–gestor municipal e assessores técnicos do parlamento.

De acordo com o delegado Roberto Assis, responsável pela operação, as investigações duraram cerca de oito meses e partiram de denúncia de que parlamentares estariam recebendo favorecimento econômico para aprovar balancetes, projetos de lei, como também a manutenção de investigados em cargos públicos. As suspeitas é que em oito anos, cerca de R$ 600 mil foram desviados em licitações fraudulentas e atividades de corrupção ativa e passiva.

Ainda segundo o delegado, mesmo não havendo prisões, cada investigado assinou um termo de compromisso de pagamento de fiança estipuladas entre 02 (dois) a 10 (dez) salários mínimos, sob pena de serem presos preventivamente.

Apoios

Participaram da operação unidades especializadas da Polícia Civil na Capital, além de Delegacias Circunscricionais e Especializadas do município de Guaraí.

LINK CURTO: https://diariotocantinense.com.br/r/Jg

Deixe seu comentário: