Família ainda aguarda a liberação do corpo no IML para sepultar Carlos André

Polícia Civil do Estado do Tocantins suspeita que Carlos André tenha sido vítima de execução, cuja motivação é desconhecida

Da Redação

O corpo de Carlos André Carvalho, encontrado morto em Colinas no dia 30 de dezembro, ainda encontra-se no Instituto Médico Legal (IML) de Palmas. Em razão do estado avançado de decomposição em que foi encontrado, o corpo seguiu para a Capital. No entanto os familiares estão encontrando dificuldade na liberação para fazer o sepultamento do jovem.

De acordo com a amiga da família, Railma Martins da Silva, o corpo de Carlos André ainda não foi liberado, pois o jovem possui, apenas, certidão de nascimento e cartão do Sistema Único de Saúde (SUS), que são insuficientes para fazerem a retirada. “É uma situação bastante complicada, pois estamos encontrando dificuldades até mesmo para encontrar arquivos de prontuários médicos para fazer a identificação”, disse.

Em nota encaminhada ao Diário Tocantinense, o IML informou que aguarda os laudos médicos e comprobatórios de exames de raios X e de imagem solicitados aos familiares para que seja finalizado o processo de identificação.

“A Secretaria da Secretaria Pública informa que os familiares já foram orientados a providenciar a documentação solicitada junto às unidades hospitalares onde a suposta vítima tinha sido atendida”, diz a nota.

Entenda

Carlos André é filho do popular Carlinho Eletricista. A Polícia Civil do Estado do Tocantins suspeita que ele tenha sido vítima de execução, cuja motivação é desconhecida, e abriu procedimento para apurar o possível homicídio.