Helicóptero do Ciopaer transporta paciente em estado grave de Porto Nacional a Palmas

Objetivo foi auxiliar no transporte de um paciente o qual havia sido vítima de um grave acidente de trânsito

Da Redação

A equipe do Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAER –TO), unidade aérea vinculada à Secretaria de Estado da Segurança Pública, (SSP), realizou na tarde de sábado, 22, mais um voo pela vida. Na ocasião, a equipe multimissão a bordo do “Tocantins 01” transportou um paciente em estado grave do hospital regional de Porto Nacional até o Hospital Geral de Palmas (HGP).

 O efetivo da Unidade Aérea foi acionado no fim da tarde de sábado pela regulação do Serviço Médico de Urgência (SAMU -Palmas – TO). O objetivo foi auxiliar no transporte de um paciente do sexo masculino, de 25 anos de idade, o qual havia sido vítima de um grave acidente de trânsito na região de Porto Nacional. Após intervenção cirúrgica, o quadro do paciente se agravou e, por isso, a regulação decidiu fazer a remoção do paciente para o Hospital Geral de Palmas - HGP, Unidade Hospitalar de Referência do Estado.

Logo após receber autorização, a aeronave levantou voo em direção a Porto Nacional, onde chegou poucos minutos depois nas imediações do Hospital Regional da cidade e fez o embarque do paciente, decolando novamente em direção a Palmas, onde chegou 20 minutos depois. No HGP, uma equipe multidisciplinar já aguardava o paciente para que o mesmo recebesse o tratamento de que necessitava.

 O rápido deslocamento e perfeita integração entres as equipes do SAMU e da Unidade Aérea Integrada (CBMTO, PCTO e PMTO) propiciaram o transporte rápido do paciente, em atendimento a gravidade do caso. Vale ressaltar que a intervenção do helicóptero do CIOPAER foi de grande importância para que a vítima recebesse os cuidados dos quais necessitava, no menor tempo possível, uma vez que, o voo a bordo do TOCANTINS 01 de Porto Nacional ao HGP, cidade distante cerca de 70 km da Capital durou apenas 20 minutos, sendo que se o mesmo trajeto fosse feito de ambulância levaria pelo menos uma hora, o que poderia agravar o quadro de saúde do paciente. (Assessoria de imprensa)