Medida provisória está pronta para ser publicada; Contratos na Educação, Saúde e Segurança deverão ser retornados

A nova estrutura administrativa do Governo deverá ser publicada de hoje até amanhã, com as 12 secretarias.

Da Redação

Em entrevista exclusiva na tarde desta segunda-feira (14), o secretário de estado da Comunicação, João Neto, informou ao Diário Tocantinense que a medida provisória com a estruturação administrativa está pronta e aguarda o aval do governador Mauro Carlesse (PHS), para ser publicada. Conforme Neto os contratos da Educação, Saúde e Segurança deverão ser todos reconduzidos ao Estado, mas seguindo os parâmetros de economicidade.

A nova estrutura administrativa do Governo do Tocantins deverá ser publicada de hoje até amanhã, com as 12 secretarias e autarquias já informadas pela secretaria de comunicação dias atrás, “Oficializando a reforma que não á detalhamentos sobre se haverá terceirização, mas tudo está que está nela consolida a economicidade que o governo necessita e esta priorizando neste momento”, disse João Neto ao DT.

A Secretaria da Agricultura ainda não possui ainda um titular e deverá ser anunciado nos próximos dias.

Novidades

O governo do Tocantins deverá fundir várias diretorias regionais de educação, bem como delegacias regionais de policias civis e hospitais regionais por região. Na regional de Colinas no que diz respeito a Policia Civil o governo deverá unir a Delegacia Regional de Araguaína, e a Diretoria Regional de Ensino com outra regional ainda não definida, mas que fontes garantem que Araguaína deverá responder.

Enxugamento da máquina

O governo do Tocantins está liberando apenas a recondução de cargos nas pastas da secretária de Saúde, Educação e Segurança Publica que deverão ser todos recontratados, após realocação de funcionários efetivos, no entanto o que mudara de fato e as nomenclaturas dos cargos.

Secretários dispensados e recontratados

Deve sair de hoje para amanhã, mas uma nova exoneração em massa dos servidores de todos os níveis de escalonamento no governo do Tocantins, para que depois as publicações da MP possam retornar aos seus cargos com uma nova nomeação feita pelo governo de acordo a nova estrutura.