Estado

OAB se manifesta em defesa do sistema E-Proc pela Justiça Estadual tocantinense

A entidade ver com preocupação a cogitação de restrição orçamentária ao TJTO que atingiria o desenvolvimento do sistema processual digital.

Foto: divulgação
  • Assessoria de Comunicação
  • 10 de julho de 2019

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Seccional do Tocantins manifestou por meio de nota em defesa da manutenção do sistema E-Proc pela Justiça Estadual tocantinense. Segundo a entidade, a advocacia fez parte efetiva da implantação do processo judicial digital, contribuindo para o seu aprimoramento e ampliação.


A OAB afirmou que “de todos os sistemas instalados, sem dúvida, o E-Proc do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins tem se mostrado absolutamente o mais versátil, acessível e eficaz, garantindo ao jurisdicionado um serviço judicial célere, eficiente e desburocratizado”. 


A entidade manifestou preocupação com a cogitação de restrição orçamentária ao TJTO que atingiria o desenvolvimento do sistema processual digital.  “O sucesso e a eficiência do sistema E-proc são atestados pelo próprio Tribunal de Contas da União”, diz a nota. 

Veja a nota na íntegra


A Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional do Tocantins vem se manifestar publicamente em defesa da manutenção do sistema E-Proc pela Justiça Estadual tocantinense.


A advocacia fez parte efetiva da implantação do processo judicial digital, contribuindo para o seu aprimoramento e ampliação.
De todos os sistemas instalados, sem dúvida, o E-Proc do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins tem se mostrado absolutamente o mais versátil, acessível e eficaz, garantindo ao jurisdicionado um serviço judicial célere, eficiente e desburocratizado. 

O sucesso e a eficiência do sistema E-proc são atestados pelo próprio Tribunal de Contas da União. A OABTO mostra preocupação quanto à mera cogitação de restrição orçamentária ao TJTO, principalmente quando motivado pelo mérito de desenvolver um sistema processual digital eficaz e elogiado por todas as instituições judiciais tocantinenses.

LINK CURTO: https://diariotocantinense.com.br/r/Jq

Deixe seu comentário: