Prefeitura publica notificação de supostos "moradores" do Setor Aeroporto

Segundo o Ministério Público Federal supostos moradores podem estar utilizando-se do imóvel para vendas e alugueis.

Ricardo Almeida

A prefeitura de Colinas do Tocantins por intermédio da Secretaria de Habitação acatou solicitação do Ministério Público Federal que investiga supostas moradias consideradas ilegais que não são habitadas pelos próprios ocupantes aptos do programa Minha Casa Minha Vida. Segundo o MPF supostos moradores podem estar utilizando-se do imóvel para vendas e alugueis.

De acordo com o Diretor de Habitação, Anderson Lima, a prefeitura teria ido in loco para fazer a constatação se o morador reside de fato na casa ou não, “Fizemos um levantamento no Aeroporto I e II e pudemos constatar que as pessoas comtempladas com o imóvel não residem mais lá e ao mesmo tempo em que foi descoberto que algumas destas casas foram alugadas, vendidas e até cedidas para outros moradores”, afirmou ao Diário Tocantinense, Lima chefe do setor de Habitação.

Conforme ainda os dados publicados no Diário Municipal desta segunda-feira 05, 43 pessoas deverão apresentar as suas justificativas por não estarem residindo no local em que foi comtemplado.

Após a notificação via publicação no Diário Oficial do Município a prefeitura encaminhou para o Ministério Público Federal a resposta e consequentemente o MPF deverá solicitar que PF atue no caso.