Suspeito de estuprar a própria neta de 11 anos em Porto Nacional é preso em cidade no Maranhão

Em razão de não ser constatada situação de flagrante, conforme determina o artigo 283 C.P, ele foi colocado em liberdade

Da Redação

Um homem de 51 anos foi preso no início desta semana, por suspeita de estupro de vulnerável praticado contra sua própria neta, uma criança de 11 anos de idade, em Porto Nacional na região central do Tocantins. A prisão foi uma ação conjunta da Policia Civil com a Policia Militar.

Conforme a Policia Civil o homem havia sido conduzido pela Polícia Militar à Central de Atendimento a Polícia Civil de Porto Nacional no dia 19 de janeiro deste ano, na ocasião, ao ser questionado pela autoridade policial, acabou confessando o crime e todas suas circunstâncias. Em razão de não ser constatada situação de flagrante, conforme determina o artigo 283 do Código Penal Brasileiro, ele foi colocado em liberdade depois de ser ouvido e foi advertido que seria investigado pelo crime de estupro de vulnerável.

Tentativa de fuga e prisão 

De acordo ainda com a Polícia Civil dois dias após o registro da ocorrência, familiares da vítima procuraram a 8ª Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher e Vulneráveis de Porto Nacional, e informaram que o suspeito pretendia fugir da cidade. De imediato, a Polícia Civil representou pela prisão preventiva do suspeito. O pedido de prisão preventiva foi deferido pela 1ª Vara Criminal de Porto Nacional, e após a expedição do respectivo mandado de prisão, policiais civis de Porto Nacional e de São Miguel do Tocantins realizaram diligências nas cidades de Porto Nacional e Imperatriz (MA), sendo apurado que o suspeito estaria na região da cidade de Montes Altos, também no Maranhão.

Após contato com a Polícia Militar do Maranhão, policiais militares do 34º Batalhão da Polícia Militar, situado no município de Amarante-MA, efetuaram diligências e localizaram o investigado na cidade de Montes Altos, onde ele finalmente foi preso nesta última terça-feira, 26. O homem foi conduzido ao Plantão Central de Polícia Civil de Imperatriz, e após as providências de praxe concernentes ao cumprimento do mandado de prisão, ele foi recolhido na Unidade Prisional de Imperatriz, onde aguarda o recambiamento para Casa de Prisão Provisória de Porto Nacional.