Suspeitos de fraudar certificados de arma para caçadores são presos entre eles, militares do Exercito Brasileiro

Entre os detidos, três são militares da ativa, dois servidores aposentados e quatro civis. Estão sendo cumpridos também 26 mandados de busca e apreensão em várias cidades

Da Redação

A Polícia Civil do Distrito Federal, com apoio do Exército Brasileiro, prendeu nove suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em fraudar documentos de posse e porte de arma de fogo – chamado de Certificado de Registro de Arma de Fogo a Caçadores (CACs). Segundo a polícia, as fraudes aconteciam no Distrito Federal, Tocantins, Goiás e Pará.

Entre os detidos, três são militares da ativa, dois servidores aposentados e quatro civis. Estão sendo cumpridos também 26 mandados de busca e apreensão em Samambaia, Ceilândia, Riacho Fundo, Planaltina, Cidade Estrutural, Núcleo Bandeirante, Gama e Luziânia (GO).

Segundo as investigações, o grupo era composto por militares do Exército Brasileiro que eram integrantes do Sistema de Fiscalização de Produtos Controlados de algumas Organizações Militares. A polícia informou que ainda vai apurar o número de certificados que teriam sido forjados.

De acordo com a Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais da Polícia Civil, a organização criminosa "era paga por pessoas para colocar informações falsas na concessão de certificados de registro e concessão de registro de arma de fogo de CACs (Caçadores, Atiradores e Colecionadores)".

 (Com informações do https://g1.globo.com/df/distrito-federal)