A ação tem como objetivo unir forças para combater a propagação de notícias falsas sobre as eleições e informações que buscam distorcer a segurança do processo de votação e apuração dos votos

Alvaro Vallim

Durante cerimônia ocorrida na sede do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO), nesta quinta-feira, 20, foi assinado o Termo de Cooperação com instituições públicas, entidades representativas da sociedade civil com foco no combate à disseminação de notícias falsas nas eleições municipais deste ano.

O presidente do TRE-TO, desembargador João Rigo Guimarães, ressaltou a relevância do acordo para a defesa da democracia. "Este termo de cooperação é um marco na nossa luta contra a desinformação. A união de diversas instituições é essencial para garantir a integridade do processo eleitoral", declarou. "Desta forma, exercem um papel fundamental no fortalecimento da democracia e da cidadania no Estado do Tocantins", complementou.

O magistrado agradeceu às entidades que representam a sociedade civil "pelo fato de firmarem um pacto fundamental por eleições seguras, limpas, com credibilidade, agilidade e respeito ao direito sagrado dos cidadãos de livre escolha".

João Rigo também destacou que a corte eleitoral designou uma comissão para formalizar o ato, que é presidida pela desembargadora Ângela Issa Haonat. "E é composta por servidores e técnicos capacitados dos mais diversos setores do tribunal, o que garante conhecimento, experiência e pluralidade", citou.

O desembargador também citou que o TRE já possui um plano de combate e enfrentamento à desinformação, que foi aprovado no Pleno do tribunal e conta com um planejamento que prevê diversas ações. Entre as autoridades presentes na solenidade pelo TRE-TO estavam a presidente da Comissão de Enfrentamento à Desinformação (Cede), a desembargadora Ângela Issa Haonat e o ouvidor regional eleitoral e juiz de cooperação do TRE, juiz membro José Maria Lima.

Comissão

A desembargadora Ângela Haonat destacou que a união fortalece a realização do pleito. "Ao se unirem a nós, mais uma vez, as instituições e os meios de comunicação e seus profissionais atuam em benefício da verdade, da transparência, segurança e da plena democracia". "Esta comissão já realizou reuniões e há deliberações, como a realização de campanhas na mídia convencional e nas redes sociais; reuniões, eventos técnicos com o sistema de Justiça, os diversos setores da sociedade, enfim, com a comunidade em geral para propagar informações que se baseiam em fatos, com origem e de credibilidade", afirmou.

CIEDDE

O juiz José Maria Lima citou, ao final do evento, que "todo o trabalho será feito em conjunto com o Centro Integrado de Enfrentamento à Desinformação e Defesa da Democracia (CIEDDE) criado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE)". "Atuaremos em rede. A central, no TSE, atuará em em tempo real com os 27 tribunais regionais eleitorais visando a garantia do combate às notícias falsas e utilização irregular da inteligência artificial."

Comunicação

Profissionais da área de comunicação e empresários do setor participaram do ato. E foram homenageados pela Justiça Eleitoral. Este segmento, bem como as agremiações políticas, terá aprofundamento nas discussões para a formalização de núcleos relacionados ao tema.

"Aos meios de comunicação, aos profissionais da área também os nossos mais sinceros agradecimentos pela luta diária de propagar informações com segurança e credibilidade. Vocês são uma parte muito importante neste processo", salientou o presidente do TRE-TO

Autoridades

Assinaram o termo a presidente do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO), desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe, o diretor da Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat), desembargador Marco Villas Boas; o Superintendente Regional da Polícia Federal no Tocantins; o promotor de Justiça Abel Andrade Leal Júnior, representando o procurador-geral de Justiça Luciano Casaroti; o procurador da República Reginaldo Donizetti Gallan Batista; Igor de Andrade Barbosa, defensor Público Chefe da Defensoria Pública da União; Maria do Carmo Cota, defensora pública classe social, que representou Estellamaris Postal, defensora Pública-Geral do Estado do Tocantins; o advogado Taumartugo José Rufino Neto, que representou Gedeon Pitaluga, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil ? Seccional Tocantins (OAB-TO); Denis Luciano Pereira, diretor-geral de controle externo que representou André Luiz de Matos Gonçalves, presidente do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins (TCE-TO); Luís Eduardo Bovolato, reitor da Universidade Federal do Tocantins (UFT); Marília Naomi Couto de Oliveira Andrade, representando Alessandro Pecoraro Salles, superintendente da Agência Brasileira de Inteligência no Tocantins (ABIN-TO); vereador Daniel Nascimento, representando o vereador José do Lago Folha Filho, presidente da Câmara de Vereadores de Palmas.

Também marcou presença a presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado do Tocantins (Sindjor), Alessandra Bacelar, juntamente com demais profissionais da imprensa.

A ação tem como objetivo unir forças para combater a propagação de notícias falsas sobre as eleições e informações que buscam distorcer a segurança do processo de votação e apuração dos votos. Esta medida é uma forma de garantir a lisura e o fortalecimento da democracia, tendo em vista a aproximação das eleições municipais que ocorrerão em outubro,

Fala Comunidade

@diariotocantinense
@diariotocantinense2
@dtocantinense2
@diariotocantinense
Comercial
Redação
Grupo no Whatspp