Política

Vicentinho tem bens penhorado pela Justiça para pagar cheque sem fundo de R$ 1 milhão

O mandado de penhora contra o ex-senador foi expedido pelo juiz José Maria Lima da 2ª Vara Cível de Portal Nacional.

Foto: Divulgação
  • Da Redação
  • 12 de agosto de 2019 (Atualizada em 12/08/2019 19:45:40)

O juiz José Maria Lima, da 2ª Vara Cível de Portal Nacional, determinou a penhora de bens no valor de R$ 1 milhão da família do ex-senador Vicentinho Alves (PR). A medida é para pagar cheque sem fundo, emitido há mais de ano.  Foi penhorado um imóvel, uma fazenda e duas caminhonetes da família do ex-senador. O mandado de penhora foi expedido no último dia 8.

O processo, que tem 339 páginas, foi movido pela empresa Rápido Cobranças, com sede em Brasília-DF. Ela é credora de um cheque no valor de R$ 1 milhão emitido por Vicentinho em 20 de maio de 2018, e avalizado pela esposa Adailde Alves de Oliveira − devedora solidária.  Na época, o ex-senador era candidato ao Governo do Estado pelo PR.

A dívida é oriunda da prática de agiotagem dos sócios da empresa Rápido Cobranças. Isto é, o ex- senador teria pego emprestado o montante com a empresa, deu cheque de R$ 1 milhão pré-datado para 60 dias. No entanto, ao apresentar o cheque no Basa de Porto Nacional, o mesmo não foi compensado e a empresa credora entrou com uma Ação de Execução de Título Extrajudicial.

“Ocorre que o referido título foi devolvido pelas alíneas 11 e 21, conforme informações no verso do cheque. Esses motivos, segundo classificação instituída pelo Banco Central, correspondem, respectivamente, a “cheque sem fundos” e “cheque sustado ou revogado”, consta na petição apresentada à Justiça.

Um ano e três meses depois da emissão do cheque, a Justiça decidiu pela penhora dos bens do ex-senador e da esposa para quitar a dívida, agora avaliada em R$ 1.097.603,78. 

Os bens penhorado do ex-senador foram Fazenda São Pedro, em Pindorama, avaliada  R$ 509,64, uma caminhonete Hillux em nome de Adailde Alves de Oliveira, uma caminhonete Ford F4000 de Vicentinho, além de um imóvel da família em Porto Nacional.

 

LINK CURTO: https://diariotocantinense.com.br/r/LZ

Deixe seu comentário: