Agro em pauta: Mercado do boi gordo fecha agosto com baixa no valor da arroba no Tocantins

Segundo dados da Scot Consultoria, que monitora 32 praças no Brasil, o preço médio da arroba do boi gordo recuou 0,8%

Da Redação

O estado do Tocantins é reconhecido como um dos maiores produtores de boi gordo, mas mesmo com os esforços dos produtores rurais, o segmento no mês de agosto fechou em queda. Segundo dados da Scot Consultoria, que monitora 32 praças no Brasil. O preço médio da arroba do boi gordo recuou 0,8%, em relação à média de julho deste ano. O valor praticado ficou em média em R$279,63, a prazo, já livre de impostos.

O Zootecnista e analista de mercado da Scot Consultoria, Felipe Fabbri, explica o que ocasionou a baixa. 

“O mercado do boi gordo trabalha sob pressão de baixa em agosto, com oferta crescente de boiadas e um cenário de escoamento mais calmo, principalmente na segunda quinzena”, explica Fabbri.

Fabbri relata ainda a forma que o mercado se adequou em relação ao cenário do Brasil, neste ano. “No estado, o mercado trabalhou de modo oposto ao cenário brasileiro. A menor presença de animais de confinamento nas escalas de abate e uma demanda adequada à oferta levou a um aumento nos preços médios”, pontuou o zootecnista.

Os valores praticados nas diferentes regiões do estado podem variar. Na região Sul, por exemplo, o preço médio em agosto foi de R$294,91/@, à prazo, descontados os impostos, que representa um aumento de 0,9% frente à média de julho. Já no Norte do estado, o preço médio em agosto foi de R$292,45/@.

Apesar da média maior, a referência para as regiões Sul e Norte, ontem, 02, estava em R$292,50/@, livre de impostos e a prazo, um recuo de 1,7% no Sul na segunda quinzena do mês e, para o Norte, preços estáveis. O diferencial de base em relação à São Paulo, hoje, é de 4,3% tanto no Sul quanto no Norte do estado. 

Ainda segundo levantamento da Scot Consultoria, na média de todos os estados monitorados, entre machos e fêmeas anelorados, a queda foi de 1,1% na última semana de agosto. A desvalorização foi de 2,0% considerando todas as categorias.

Preço dos animais no estado

No estado, os preços de animais para reposição também sentiram os efeitos da pressão de baixa e negócios travados, com compradores ausentes do mercado. 

“Na média de todas as categorias monitoradas, para animais machos, os preços recuaram 4,4% no início de setembro em relação a agosto, com destaque à queda nas cotações médias dos animais mais jovens que são bezerro de ano e desmama”, explica Fellipe.

Os valores ficaram assim: o boi magro em agosto estava saindo por R$3937,50, enquanto em setembro, R$3840,00. Já o garrote no mês passado saía por R$3300,00, neste mês é comercializado por R$3150,00. O bezerro em agosto por R$2950,00 e em setembro por R$2800,00. Por fim, desmama saindo no mês passado por R$2650,00 e agora, em setembro, por R$2500,00.

Resultados

Com o encerramento de agosto, foram embarcadas 181,6 mil toneladas de carne bovina in natura como recorde mensal. O preço médio obtido foi de US$5,68 mil por tonelada. O recorde anterior ocorreu em outubro de 2019, com um volume de 170,5 mil toneladas, segundo o Secex.

Coluna Agro em Pauta

A coluna Agro em Pauta trará assuntos do momento no setor agropecuário no estado, de forma quinzenal. Essa é uma iniciativa do portal Diário Tocantinense. E aí, está afim de ficar por dentro de tudo que acontece no mundo agro? Acompanhe a gente!