As apresentações têm estreia nesta quinta-feira, 14, na Escola Municipal Francisca Brandão, e seguem ainda para a Escola Municipal Henrique Talone (21/09).

Cinthia Abreu

Utilizar-se do universo lúdico da literatura para levar reflexão sobre a importância da inclusão de pessoas com necessidades especiais, especialmente o autismo. Esta é a proposta da atriz Ana Kamilla Castaño, que estará em circulação por bibliotecas públicas de escolas da Capital com o projeto “Mediação de Leitura: A Menina que Descobriu e Poesia”, via patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic).


As apresentações têm estreia nesta quinta-feira, 14, na Escola Municipal Francisca Brandão, e seguem ainda para a Escola Municipal Henrique Talone (21/09) e também a Associação Anjo Azul (04/10). O projeto é voltado para os estudos das escolas públicas, professores e funcionários em geral, bem como voluntários e participantes da Associação Anjo Azul.


No projeto, a atriz Ana Kamylla Castaño apresenta a obra de sua autoria - : A Menina que Descobriu e Poesia – com contação de histórias. A obra é baseada na sua vivência na escola como professora e também de vivências como servidora de biblioteca municipal. Ao chegar em uma nova escola, através da companhia da bibliotecária Amora, uma criança com Tea descobrirá o universo da poesia. “A menina que descobriu a poesia  é a realização de um sonho, resultado das histórias que minha avó e minha mãe contavam pra mim quando criança e também fruto das minhas vivências dentro de uma biblioteca escolar”, declarou Ana Kamila.


Perfil


Ana Kamila Castaño, pedagoga, pós graduada em Educação artística, contadora de histórias, escritora, atriz do grupo teatral Um Ponto Dois e  Da Barraca cia Experimental, acadêmica do curso de licenciatura em teatro da Universidade Federal do Tocantins e criadora do @poesias.comigo.Natural de Fortaleza (CE), a escritora mora em Palmas há doze anos.