Cenário tocantinense sobre a óptica dos bastidores; eleição esquenta e detalhes ficam de fora da análise

O jornalismo tocantinense enxerga, nessas eleições, o que está sobre os olhos, mas e as cartas debaixo da mesa? Alguém viu?

Da Redação

Atualmente o que se sabe, dentro do cenário para governo, é que Ronaldo Dimas, nome lançado aos quatro ventos no Tocantins, e Osires Damaso, o cogitado (PSC), estão enfrentando divergências na construção de uma chapa majoritária. 

No cenário Dimas, a escolha do vice é incerta, ou seja, foi ?pré-definida? e ao mesmo tempo não foi, com o nome de Freire Júnior (MDB). O que se cogita agora, é o nome de Dulce para vice, ou Eduardo Gomes para o governo tendo Dimas como vice. 

Com o envolvimento de Irajá na pré-candidatura de Damaso, é possível que o mesmo encare a disputa rumo ao Governo tendo Damaso como vice e, talvez, sua mãe na chapa ao senado. Já que ela (Kátia) vem enfrentando a musculatura política sozinha. 

Na verdade há inúmeras possibilidades, que ao ver de muitos, já deveriam estar alinhadas e definidas, mas pela indisposição entre os políticos tocantinenses, aguardar para o final será a saída.