Rap nacional da Periferia de SP e Boston; através da força e justiça social, pai e filho passam seus recados.

Assessoria de Comunicação

Clayton Gonçalves dos Santos, 43 anos, foi morador de periferia, entre Terminal Varginha e Parelheiros, raízes do extremo sul de São Paulo. Hoje, mora nos EUA, em busca de trabalho e divulgação da sua música para o mundo. Já o filho Kauan, 15,  mora na periferia de São Paulo.

O artista desde criança escutava samba, forró, sertanejo, rap, tudo que tocava na periferia, mas foi nos anos 90 que despertou sua total paixão pelo rap, e a partir dele pela justiça social. Dessa mistura nasceram as músicas com críticas, que denunciam o sistema e o caos da periferia.

A primeira formação do MVN significava "Movimento Negro" e atualmente "Família que Movimenta" 

Carreira 

Clayton sempre se apresentou em escolas, casas noturnas e participações em aberturas de shows, festivais entre outros, a última apresentação com seu filho aconteceu em 2019.

No mesmo ano lançou oficialmente seu primeiro single "Lembranças de uma mente". Mais tarde surgiu o álbum completo.

Redes sociais:

Instagram: @familiamvnoficial

Abaixo confira a entrevista enviada pelo artista ao DT: