Cidades

Doações de mais de 60 caminhões de cascalho em Alvorada são alvo de investigação do MP

O caso começou a ser investigado após um servidor que trabalhava na garagem municipal ser flagrado fazendo entregas nas casas de moradores da cidade.

Foto: Divulgação
  • Da Redação
  • 09 de agosto de 2019 (Atualizada em 09/08/2019 15:30:40)

Supostas doações de carregamentos de cascalho e areia pela Prefeitura de Alvorada, no sul do Tocantins são alvo de um inquerérito aberto pelo Ministário Público do Tocantine. Segundo o órgão, o caso começou a ser investigado no início desta semana, após um servidor público que trabalhava na garagem municipal ser flagrado fazendo entregas nas casas de moradores carentes da cidade. Na ocaisão, ele chegou a ser preso, mas responde ao processo em liberdade.

Ainda segundo o Ministério Público, durante o depoimento, o servidor confessou que fez ao menos 60 entregas do tipo desde janeiro de 2018. Ele afirmou que foi orientado pela prefeitura municipal a realizar o serviço. O homem disse ainda que que não havia nenhum tipo de critério para que as entregas fossem feitas e que apenas recebia a lista de onde deveria deixar os produtos.

Ele foi afastado do cargo enquanto durar a investigação. Já na noite de noite desta quinta-feira (8), houve novos flagrantes de doações irregulares. A Polícia Militar foi chamada e conduziu outro servidor para prestar depoimento. O Ministério Público acredita que se trate de peculato e que os veículos da prefeitura estão sendo utilizados de forma irregular.

Conforme as investigações, o cascalho e a areia eram retirados no aterro municipal e utilizados em construções. Cada carregamento valeria em torno de R$ 200, segundo estimativas.

Outro lado

A Prefeitura de Alvorada informou que o departamento jurídico do município está analisando a situação denunciada pelo Ministério Público. Já o  prefeito Paulo Antônio (PSDB) disse que não tinha conhecimento dessa situação.

 

LINK CURTO: https://diariotocantinense.com.br/r/LO

Deixe seu comentário: