As eleições deste ano prometem ser intensas no Estado, e já começaram as negociações por alianças

Da Redacão

O primeiro turno da eleição para o governo do Tocantins está marcado para 2 de outubro de 2022. E, caso seja necessário, o segundo turno será realizado no dia 30 do mesmo mês.

As eleições deste ano prometem ser intensas no Estado, e já começaram as negociações por alianças e o lançamento de pré-candidaturas ao governo estadual e ao Senador nas eleições deste ano.

Mauro Carlesse, ex-governador do Tocantins eleito pelo PSL em 2018, renunciou ao cargo no dia 11 de março de 2022. Afastado por decisão judicial em outubro, durante uma investigação de corrupção e o vice Wanderlei Barbosa assumiu o posto. Filiado recentemente ao Republicanos e agora oficialmente governador, tem demonstrado interesse em disputar as eleições. De Porto Nacional (TO), tem 58 anos e já foi vereador e deputado estadual.

Outro pré-candidato a governador pelo Podemos no Tocantins é o engenheiro Ronaldo Dimas, de 60 anos, natural de Frutal (MG).  Foi deputado federal e prefeito de Araguaína, membro da maior companhia habitacional da América Latina, o Conselho Administrativo da Companhia de Desenvolvimento Urbano e Habitacional do Estado de São Paulo e secretário das Cidades e Desenvolvimento Urbano no Governo do Estado do Tocantins.

Pelo PT, o engenheiro agrônomo Paulo Mourão também é pré-candidato a governador do Tocantins. Natural de Cristalândia tem 66 anos. Eleito deputado federal pelo PDS (1988) e reeleito pelo PDC em 1990. Foi também prefeito de Porto Nacional, pelo PT.

Pelo o PSDB, a candidata cogitada é a deputada estadual em terceiro mandato Luana Ribeiro. Formada em turismo, ela já presidiu a Assembleia Legislativa.

Laurez Moreira, pré-candidato ao governo do Tocantins trocou o Avante pelo PDT e assumiu a presidência do partido no estado. O ex-prefeito de Gurupi é advogado, tem 64 anos e é natural de Dueré.

O  empresário e deputado federal Osires Damaso tende a ser o candidato do PSC. Ele foi deputado estadual entre 2009 e 2018.

Pré-candidatos ao Senado

Para ocupar a única cadeira em disputa pelo Tocantins, poucos nomes foram definidos como pré-candidatos ao Senado, até o momento. Uma presença quase certa é de Kátia Abreu, do PP, concorrendo à reeleição.A pré-candidata foi ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento durante o segundo governo da ex-presidente Dilma Rousseff e foi candidata à vice-presidente da República nas Eleições presidenciais de 2018 na chapa com Ciro Gomes. É natural de Goiânia e tem 60 anos.

O ex-governador do Tocantins e ex-deputado estadual,  Marcelo Miranda, é pré-candidato pelo MDB. Natural de Goiânia, tem 60 anos e é agropecuarista. Em 2018, teve seu mandato como governador do estado do Tocantins cassado por uma acusação de corrupção, cargo que ocupava pela terceira vez.

Dorinha Seabra Rezende é a pré-candidata do União Brasil no estado do Tocantins. A professora, de 57 anos, está em seu terceiro mandato como deputada federal. É considerada uma das responsáveis pelo novo Fundo de Manutenção do Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

A Justiça Eleitoral determina que o período para os partidos realizarem convenções e decidirem seus candidatos começa em 20 de julho. O pedido de registro da candidatura deve ser feito até 15 de agosto.