Freire Júnior é indicação direta do líder emedebista, Marcelo Miranda e membros do MDB

Beatriz Costa

Nesta quinta-feira, 21, o próprio ex-deputado federal, Freire Júnior (MDB) confirmou ao DT, com exclusividade, que foi convidado para a vaga de vice do pré-candidato a governador do PL, Ronaldo Dimas e aceitou.

Marcelo Miranda esteve reunido com Ronaldo Dimas do PL na quarta-feira, 20, para alinhar o poder de indicação da vaga de vice. Na ocasião, estavam presentes políticos como o próprio ex-deputado federal Freire Júnior, tesoureiro do partido Dr. Herbert Brito (Dr. Butí), o Secretário Geral e Presidente do MDB Jovem Pedro Avelino, o Deputado Federal Thiago Dimas, o prefeito de Araguaína Wagner Rodrigues, o ex-Senador da República Dr. Jacques Silva, o advogado Rafael Miranda e Adolfo Brito. 

Chapa Majoritária  

Com Freire Júnior confirmado para vide de Dimas a chapa majoritária se encontra da seguinte forma:

GOVERNADOR - Ronaldo Dimas (Podemos)
VICE-GOVERNADOR - Freire Júnior (MDB)
SENADORA - Kátia Abreu (Direcionamento do PP nacional com possibilidade de acontecer)

Perfil Político - Freire Júnior

Natural de Goiânia, o agropecuarista Freire Júnior filiou-se em 1973 ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instalado no país em abril de 1964. Em 1978, diplomou-se em economia no Centro de Ensino Unificado de Brasília. Com o fim do bipartidarismo em 29 de novembro de 1979 e a consequente reorganização partidária, filiou-se em 1980 ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), agremiação sucessora do MDB.

Em 1983, foi diretor de crédito rural do Banco do Estado de Goiás e vice-presidente entre 1987 e 1988. Após a criação do estado de Tocantins pela Constituição de 1988, por meio do desmembramento de Goiás, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) convocou eleições gerais para o novo estado em outubro de 1988. Eleito deputado federal pelo PMDB nesse pleito, para um mandato-tampão de dois anos, Freire Júnior tomou posse em janeiro de 1989. Nesse mesmo ano, tornou-se membro do diretório regional de seu partido e integrou, como titular, a Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Turismo.

Em 2002, acumulou as funções de primeiro-vice-presidente do PMDB no estado do Tocantins e membro do Diretório Nacional do partido. Nas eleições de outubro de 2002, concorreu ao cargo de governador de Tocantins, pela legenda peemedebista, obtendo a segunda colocação. O vencedor do pleito foi Marcelo Miranda, candidato do Partido da Frente Liberal (PFL), já no primeiro turno. Freire Júnior deixou a Câmara dos Deputados em janeiro de 2003, ao final da legislatura.

Em 2005, desligou-se do PMDB e filiou-se ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).  Em outubro do ano seguinte, voltou a disputar uma cadeira de deputado federal, dessa vez pela legenda tucana. No entanto, ficou apenas na décima colocação em uma disputa por oito vagas. Em 2007, como suplente, voltou a exercer o mandato de deputado federal entre 11 de abril e 12 de agosto de 2008, em virtude do afastamento temporário de Eduardo Gomes.

Durante este curto período, participou das comissões de Economia, Indústria e Comércio, como suplente; de Educação, Cultura e Desporto, como titular; de Finanças e tributação, como suplente; de Fiscalização Financeira e Controle, como titular e suplente; de Legislação Participativa, como titular; e de Minas e Energia, como titular.

Em 2008, assumiu o posto de secretário geral do diretório estadual do PSDB no Tocantins e de presidente do Diretório Municipal de Palmas. 

Nas eleições de outubro de 2010, foi candidato a deputado estadual, tendo sido eleito com 8.319 votos. Atuou na Assembleia Legislativa do Tocantins entre janeiro e outubro de 2011, quando foi empossado pelo governador Siqueira Campos para uma nova secretaria, responsável pela liberação de recursos federais para obras naquele estado. 

Fonte da biografia: FGV - CPDOC