O homem era investigado pela prática de um crime de homicídio qualificado, no ano de 2004, em Palmas.

Ascom| Da Redação

Um homem de 42 anos, investigado pela prática de um crime de homicídio qualificado, no ano de 2004, em Palmas, foi preso pela Polícia Civil na manhã desta terça-feira, 17, na cidade de Ipiranga do Norte (MT), em cumprimento a mandado de prisão preventiva, expedido pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Palmas. A prisão foi realizada pela Polícia Civil do Mato Grosso, com apoio da PC-TO, no âmbito da Operação Paz.

Conforme explica o delegado José Anchieta de Menezes Filho, responsável pelo caso, logo após o crime, ocorrido em fevereiro de 2004, a Polícia Civil do Tocantins procedeu com as investigações e identificou o autor dos fatos. Porém, ao saber que era procurado pela PC, ele se evadiu e passou mais de 19 anos fugindo para evitar a persecução penal", disse a autoridade policial.

O crime

Ainda segundo o delegado Anchieta, o crime ocorreu na noite de 27 de fevereiro, quando a vítima discutia com dois adolescentes, e foi atingida de surpresa por um disparo de arma de fogo de calibre 22, pelo suspeito maior de idade, que era primo dos adolescentes e nada tinha a ver com a discussão.

Depois de passar quase 20 anos fugindo por municípios do interior da Bahia e também de Mato Grosso, o indivíduo foi localizado por meio de uma força tarefa, composta por policiais civis do Tocantins e do Mato Grosso. "Após esse compartilhamento de informações com a PC do Mato Grosso e depois de localizar o ponto exato onde o foragido estava, na zona rural de Ipiranga do Norte, solicitamos apoio ao delegado Bruno França Ferreira, que acompanhado de sua equipe da Delegacia de Repressão a Furtos, efetuou a prisão do indivíduo", disse.

Capturado, o homem foi conduzido até a Delegada de Ipiranga do Norte e, após a realização dos procedimentos legais cabíveis, foi conduzido até a Cadeia Pública local, onde aguardará recambiamento para o Estado do Tocantins. 

Para o delegado José Anchieta, a prisão é muito significativa, pois trata-se de um crime grave e que foi praticado por motivo fútil e sem chance de defesa para a vítima. "Mesmo após quase 20 anos, esse homicídio foi solucionado e o autor localizado e preso para que, agora, finalmente possa responder pelo crime que praticou", disse.