O Instituto de Auditoria Independente do Brasil (Ibracon) está com um novo presidente regional para Minas Gerais, Goiás, Tocantins e o Distrito Federal.

Ascom

Sócio em firma de auditoria com mais de 20 anos de experiência na profissão, Marco Aurélio Cunha de Almeida foi reeleito presidente da 4ª Seção Regional do Instituto de Auditoria Independente do Brasil (Ibracon), que compreende os estados de Minas Gerais, Goiás, Tocantins e o Distrito Federal, para a gestão 2024-2026.

“Continuar à frente da 4ª Seção Regional é um orgulho”, comenta Almeida, que já ocupou as posições de vice-presidente de Registro do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), entre 2016 e 2017, e presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais (CRCMG), entre 2014 e 2015.

“Nossa meta para este mandato é ampliar a percepção da relevância da Auditoria Independente pela sociedade ao demonstrar a sua importância para maior credibilidade das informações divulgadas pelas empresas e, consequentemente, para os negócios”, afirma Almeida. Uma das principais ações da 4ª Regional, segundo o presidente, será desenvolver um trabalho diretamente com os alunos de universidades, a fim de levar até os jovens o conhecimento sobre a profissão e a sua importância.

Em relação às expectativas para 2024, ele é otimista. “Uma tendência que tenho observado é a de que a cada ano um número maior de companhias tem buscado profissionais para a realização de trabalhos de auditoria e creio que neste ano não será diferente. Há um impulsionamento não só pela obrigação exigida pela lei, mas também pela necessidade crescente de as empresas darem maior transparência à divulgação de suas informações e, assim, gerar maior credibilidade”, destaca.

A 4ª Seção Regional contará também com a participação e expertise dos seguintes auditores independentes: Tomás Lima Assumpção Menezes, diretor Técnico; Paulo Cézar Santana, diretor de Administração e Finanças; Marcos Magnusson de Carvalho, diretor de Desenvolvimento Profissional; e os diretores Mateus Cunha Figueiredo, Marcelo Salvador e Paulo Eduardo Santos.