Anteriormente, Amália havia sido excluída da lista por ter declarado, em um momento isolado, que apoiaria Wanderlei Barbosa, o que soou para o PT como "infidelidade partidária".

Da Redação

Em entrevista ao DT, o deputado federal Célio Moura afirmou que a executiva nacional do Partido dos Trabalhadores aprovou, nesta quinta-feira, 21, o nome da deputada para a chapa proporcional na Federação Brasil Esperança.

?A deputada Amália foi aprovada a candidata a deputada estadual, graças a uma corrente interna que fizemos, onde procuramos mostrar para a executiva nacional, que a fala de Amália em Colinas, quando demonstrou apoio a Wanderlei, era por que o partido ainda não havia definido, em convenção, que teria candidatura própria. Foi esse o argumento que utilizamos para convencer a executiva nacional a votar favorável ao recurso impetrado pela Amália?, contou Moura ao DT.

Entenda

Anteriormente, Amália havia sido excluída da lista por ter declarado, em um momento isolado, que apoiaria Wanderlei Barbosa, o que soou para o PT como infidelidade partidária, já que o nome de Paulo Mourão estava sendo cogitado nos bastidores, mas não oficializado, como candidato ao Governo do estado pelo o Partido.  

A deputada chegou a se manifestar contra a reunião decisória e enviar uma carta ao diretório nacional do partido, onde alegava que a reunião teria desrespeitado as diretrizes e que não poderia ser válida, uma vez que o número de quórum não era suficiente para a exclusão de seu nome. 

De volta ao Jogo

Após a confirmação da deputada de volta ao jogo, outro assunto que entrou em questão, foi sobre os cargos comissionados que atualmente a deputada possui no Estado. Sobre eles, Moura afirma que o diretório do partido, não exige ou exigirá, que Amália devolva cada um deles, e que durante o período eleitoral não pode haver demissões.

São apenas salários baixos, e além do mais, nesse período eleitoral não pode haver demissão. É claro que essa questão de que estamos garantindo o nome da companheira Amália na nominata, não impede que ela tenha esses cargos no governo do Estado enquanto existir o interesse do próprio Governo em mantê-los.

O DT tentou contato com o governo do Estado para abordar sobre essa pauta, mas até o fechamento da matéria não obteve respostas. O espaço permanece aberto. O DT abre espaço para a pré-candidata comentar o assunto. 

VEJA COMO FICOU A DEFINIÇÃO DO PT NO TOCANTINS

GOVERNADOR PAULO MOURÃO (PT) 

VICE-GOVERNADOR (A DEFINIR) 

SENADOR (A DEFINIR) 

1º SUPLENTE DE SENADOR (A DEFINIR) 

2º SUPLENTE DE SENADOR (A DEFINIR) 

DEPUTADO(A) FEDERAL CÉLIO MOURA 

DEPUTADO(A) FEDERAL ZÉ ROBERTO LULA 

DEPUTADO(A) FEDERAL JULYENE 

DEPUTADO(A) FEDERAL MARIA VANIR 

DEPUTADO(A) ESTADUAL AMÁLIA SANTANA 

DEPUTADO(A) ESTADUAL TUCA DO FERRO VELHO 

DEPUTADO(A) ESTADUAL ANA CLEIA KIKA 

DEPUTADO(A) ESTADUAL ANTONIO MARCOS 

DEPUTADO(A) ESTADUAL DISLAINE DO PT 

DEPUTADO(A) ESTADUAL EDVALDO 

DEPUTADO(A) ESTADUAL EUCLIDES PARENTE 

DEPUTADO(A) ESTADUAL EUTÁLIA BARBOSA 

DEPUTADO(A) ESTADUAL GEORGE FRANÇA 

DEPUTADO(A) ESTADUAL JOTA 

DEPUTADO(A) ESTADUAL JOSE ARIMATÉIA 

DEPUTADO(A) ESTADUAL JOSE GERALDO 

DEPUTADO(A) ESTADUAL ZÉ ROQUE 

DEPUTADO(A) ESTADUAL JULIANA 

DEPUTADO(A) ESTADUAL PROFESSOR KLEBER 

DEPUTADO(A) ESTADUAL MARCIA