Notícias

NFE do Consumidor no TO passará a ser obrigatória a partir de julho

Todas as empresas do Simples estão incluídas. A implantação não é complexa mas demanda preparo e antecipação.

Foto: Divulgação
  • Da Redação
  • Da Redação
  • 12 de junho de 2019 (Atualizada em 12/06/2019 16:57:44)

Desde julho do ano passado, a emissão Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e) passou a ser obrigatória para os estabelecimentos em início de atividade no Tocantins. Em 1º de janeiro de 2019, passou a ser obrigatória para as empresas do Simples Nacional com faturamento anual acima de R$ 1 milhão e, a partir de 1ª de julho deste ano, é exigência para os estabelecimentos do Simples Nacional com faturamento anual inferior a R$ 1 milhão.

O CEO Founder e diretor da Rensoftware, Rênye Costa, pontuou que as empresas precisam se adequar a essa nova realidade.

“Essa mudança de notas existe em muitas empresas e muitas ainda não conhecem as vantagens. São vários benefícios com esse novo modelo de nota fiscal e estamos passando por uma mudança nas relações de consumo, em que tudo caminha para o arquivamento digital”, disse Renye.

Vantagem para o empresário

De acordo com a Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz), são inúmeras as vantagens da NFC-e. Para o empresário, diminui-se a burocracia com a dispensa de obrigatoriedade de adoção de equipamento fiscal homologado para emissão de notas, há a flexibilidade de expansão de pontos de venda no estabelecimento sem necessidade de obtenção de autorização do Fisco, além da redução de custos com papel e maquinários.

Vantagens ao consumidor

Para o consumidor, a vantagem será a consulta em tempo real ou online de suas notas fiscais no portal da Sefaz por meio de QR Code.

“Nossa loja já inaugurou com esse sistema novo. Ele é mais prático, é uma nota menor e gasta menos papel. Os benefícios para a gente é ter mais rapidez e agilidade, já para o cliente é sempre ter a nota fiscal eletrônica salva no celular ou em algum drive na nuvem”, frisa a empresária Talita Bacelar.

Passo a passo

A implantação da NFC-e nas empresas não é complexa, mas demanda preparo e antecipação por parte do empresariado. O coordenador do centro de ensino e consultor de varejo da Rensoftware, Jefferson Alencar, destaca a visão de futuro com a NFCe.

“O novo sistema tem muitas novidades, desafios, benefícios e o causa um impacto ecológico positivo com a redução significativa do uso do papel. Tem empresário que se prepara desde o ano passado e tem aqueles que, infelizmente, até agora, nunca ouviram falar.

Menor versão do mercado

A Rensoftware já conta com um recurso que permite a impressão do cupom fiscal da Nota Fiscal Eletrônica do Consumidor em um formato menor, com o objetivo de reduzir os custos e desperdício com bobinas. Essa versão é a menor já disponível no mercado e mantém um layout agradável de leitura das informações ao consumidor.

“Nossa empresa está atenta para o que pode representar economia para o empresário por meio de recursos facilitadores no nosso software. A menor NFC-e é prova disso”, finaliza Rênye.

 

LINK CURTO: https://diariotocantinense.com.br/r/In

Deixe seu comentário: