Gestor teria exigido que servidores deixem de ser amigo de ex-prefeito

Da Redação

O prefeito de Presidente Kennedy, João Batista Alves Cavalcante (PSD), é acusado de revanchismo político por servidores demitidos pela administração municipal no final do ano de 2021. Gestor segundo fontes políticas da cidade teria exigido que servidores deixem de ser amigo de ex-prefeito, Ailton. 

Conforme informações obtidas pelo Diário Tocantinense, por meio de aliados do vereador Zé do Quito (PTB), a maioria dos funcionários do município de Presidente Kennedy, teria sido dispensada de seus empregos com a garantia da retomada de suas atividades no início deste ano de 2022, inclusive com a possibilidade da readmissão em janeiro, no entanto, quando foram tratar sobre o retorno se deparam com a pressão pessoal de pessoas ligadas ao prefeito para que os profissionais cortem os vínculos pessoais com o ex-prefeito Ailton Francisco (PP) e lideranças da oposição.

O atual prefeito foi escolhido em 2020 como candidato para encabeçar a chapa majoritária de sucessão à Ailton Francisco nas eleições municipais de novembro daquele ano, logo após a candidatura de Wesley do Capixaba ter sido indeferida pela Justiça Eleitoral na tarde do dia 26 de outubro, há menos de um mês das eleições municipais. 

Pouco antes de tomar posse houveram rumores de racha entre os dois gestores, o eleito e o ainda no cargo, no entanto, foi realizado um processo de transição pacífico e amistoso.

Nesse ano eleitoral, Ailton Francisco é chefe de Gabinete do Escritório Regional da Senadora Kátia Abreu (PP) e o atual prefeito não vê com bons olhos a aproximação dos ex-servidores com o ex-prefeito e buscou minar essas relações, exigindo com pressão que os funcionários que almejem retornar aos cargos se afastem de Ailton para não sofrerem influências do progressista.

A cidade de Presidente Kennedy possui uma população estimada de 3.676 habitantes.

O DT abre espaço para que os envolvidos possam comentar o assunto.