Dimas, não quis revelar todo o seu projeto, contudo avaliou positivamente as alianças que vem conquistando

Da Redação

Na manhã desta quinta-feira, 10, o ex-prefeito de Araguaína e pré-candidato ao Governo do Tocantins, Ronaldo Dimas (PODE), conversou com o Diário Tocantinense. O governadoriável falou sobre sua corrida pré-eleitoral ao Palácio Araguaia, mencionou alguns planos para o futuro e negou veementemente os rumores de uma possível aliança com o senador Eduardo Gomes (MDB), em busca do retorno de Mauro Carlesse (União Brasil), ao governo.

Dimas foi enfático e garantiu que não há ou existiu de sua parte, estratégia para conseguir tirar o governador interino, Wanderlei Barbosa (sem partido) da gestão e consequentemente da disputa eleitoral de outubro.  

O pré-candidato foi além, afirmou que é uma ?história sem pé e sem cabeça. Isso é coisa a mando do governo. É cômico! [risos]?. Ronaldo Dimas lembrou que aliado de primeira hora do governador afastado, Mauro Carlesse é Wanderley Barbosa e não ele. ?O parceiro dele não sou eu e sim, o Wanderlei. Ele sabia de tudo! As conversas que eu participei em rodadas dizem pela mesma boca. Ele era cumplice?, disparou Ronaldo Dimas. 

É importante lembrar que mesmo oposição à gestão Mauro Carlesse, o governador contou com o apoio do então prefeito à época Ronaldo Dimas, nas eleições de 2018. A parceria inclusive fez com que o deputado federal, Tiago Dimas, filho de Dimas compusesse na chapa com Mauro Carlesse. 

Projeto uníssono Gomes e Dimas

Sobre o projeto dele, Ronaldo Dimas ao Governo do Tocantins, assim como o projeto do Senador Eduardo Gomes, em relação às eleições, o pré-candidato avaliou como único.  ?Não existe dois projetos políticos, temos o apoio dele, estamos juntos nesta?, garantiu. 

Alianças e corrida eleitoral

Dimas não quis revelar todo o seu projeto, contudo avaliou positivamente as alianças que vem conquistando em torno do seu projeto. Ele recentemente filiou o ex-vereador, expoente líder político de Gurupi, Kita Maciel.

O DT abre espaço para que os envolvidos possam comentar o assunto.