O segundo turno da votação aconteceu na sessão desta quinta-feira, 19

Da redação

Um dos assuntos que circula nas redes sociais, é sobre o clima dentro da Câmara de Colinas do Tocantins durante a sessão desta quinta-feira, 19. Na ocasião, os vereadores se exaltaram e levaram a discussão do parlamento a uma briga. 

O motivo da indisposição na durante a sessão teria sido por conta do Projeto de Lei  que tramitava desde março de 2021, e foi aprovado por 7 votos favoráveis e 6 contrários, na sessão desta quarta-feira, 18. O segundo turno da votação aconteceu na sessão desta quinta-feira, 19. Se aprovado, o PL permitiria que o regimento interno da Câmara fosse reformulado e aceitaria a antecipação da eleição da Mesa Diretora, o que acabou não agradando os demais vereadores. 

A votação gerou muita discussão e alterou os ânimos dos parlamentares presentes.

Repercussão

Em um vídeo postado nas redes sociais, um vereador que estava presente contou o motivo da indisposição entre os vereadores. “O vereador Washington Ayres foi tirado do cargo dele do estado e, automaticamente, como diz a legislação do município, tinha que assumir a cadeira dele. Só que durante a sessão o presidente da Câmara decidiu manter, tanto o Washington Ayres, quanto o Fernando Souza (vereador suplente) no plenário, querendo forçar que o vereador Ayres não votasse e o vereador Fernando votasse. Então ele acabou fazendo uma votação tumultuada, sem ouvir voto de ninguém e disse que estava aprovado o projeto”, contou o chefe de gabinete, Jefferson Bandeira. 

Bandeira ainda mandou um recado para o presidente da Casa afirmando que as leis da Câmara Municipal deveriam ser respeitadas. “Ele está achando que Colinas é Cuba. Eu tenho um recado para você presidente, Colinas não é Cuba, a gente vive em uma democracia. Essa casa de leis devia respeitar as leis e não desrespeitar elas”, finalizou Bandeira após o episódio.

- Divulgação