Perda de vacinas contra a covid é apurada pelo MP, Governo reorganiza distribuição de imunizantes

111 secretarias municipais de saúde do Tocantins encaminharam ofício à SES solicitando a suspensão do envio de doses

Da Redação

Com base nos oito municípios tocantinenses que perderam quase 23 mil doses de imunizantes contra a Covid-19, o Ministério Público do Tocantins (MPTO) tem tomado medidas juntamente com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) para alterar o protocolo de distribuição das vacinas. 

Em dezembro, as secretarias municipais de saúde começaram a precisar solicitar à Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (CEADI/TO) a quantidade de imunizantes necessários para cobertura vacinal. 

Essa iniciativa gerou a expedição de recomendação aos municípios. “Foi recomendado que em caso de detecção de excesso de doses de vacinas da Covid-19 no estoque próximas do prazo de validade, as secretarias municipais solicitem diretamente à Gerência de Imunização da SES e à CEADI a suspensão ou redução das remessas de imunizantes”, pontua a coordenadora CaoSaúde e promotora de Justiça, Araína D’Alessandro. 

Com a finalidade de evitar o perecimento de doses, 111 secretarias municipais de saúde do Tocantins encaminharam ofício à SES solicitando a suspensão do envio de doses de vacinas contra a Covid-19. Destas, 98 pediram especificamente a paralisação do envio do imunizante da Pfizer. A solicitação resultou na mudança do fluxo de distribuição das vacinas, bem como no pedido ao Ministério da Saúde (MS) para que suspenda, temporariamente, o envio de novas doses do laboratório Pfizer/Cominarty.