Cidades

Prefeitura de Miracema terá que exonerar mais de 110 servidores após concurso feito há 12 anos ser anulado

O município apresentou diversos recursos, mas transitou em julgado e não há mais como recorrer. As exonerações devem ocorrer até o próximo dia 31 de agosto.

Foto: Divulgação
  • Da Redação
  • 27 de agosto de 2019 (Atualizada em 27/08/2019 19:59:21)

Uma decisão da Justiça determinou que a Prefeitura de Miracema do Tocantins exonere 114 servidores que ingressaram no serviço público em um concurso realizado em 2007. O certame foi anulado pelo judiciário e as exonerações devem ocorrer até o próximo dia 31 de agosto, sob pena de multa diária.

Na época do concurso, diversas irregularidades foram apontadas pelo Ministério Público, como dispensa de licitação para contratar a empresa que aplicou as provas, prazo curto para inscrição, irregularidades em vagas oferecidas e na correção das provas, entre outros problemas.

A anulação do certame foi determinada pela Justiça de primeiro grau e o município apresentou vários recursos, mas não conseguiu mudar a decisão nos tribunais superiores.

"A matéria já foi julgada com trânsito em julgado, não cabendo mais discussão acerca da mesma. Atos nulos não geram efeitos jurídicos, de maneira que o concurso em questão não gerou direitos para os servidores como a estabilidade", afirma o juiz André Fernando Gigo Leme Netto, na decisão que determinou as exonerações.

Por meio de nota, a Prefeitura de Miracema afirmou que sempre defendeu o interesse de manter os funcionários aprovados. O município foi intimado a exonerar os servidores em cinco dias, sob pena de pagar multa de R$ 10 mil por dia de descumprimento até o limite de R$ 300 mil.

O município ainda conseguiu mais alguns dias de prazo, pois a decisão saiu ainda no mês de julho deste ano, mas deverá concluir as exonerações até o próximo dia 31 de agosto.

"O Município reconhece o trauma dessa decisão, considerando que os servidores aprovados no concurso público de 2007 estão trabalhando há mais de dez anos, que são pais e mães de família que terão os seus vínculos desfeitos com o Município, por razões que fogem do controle de quem tem que tomar essa atitude hoje", afirmou a prefeitura.

LINK CURTO: https://diariotocantinense.com.br/r/Na

Deixe seu comentário: